Após ter casa furtada mãe e filha, com problemas físicos, passam por dificuldades


- 23 de julho de 2018.
Destaques

Vivendo em uma pequena casa localizada no bairro Berger, Anisia Estela Dorosz faz tudo que pode para dar o melhor à pequena Yasmim Dorosz Marcolla, de apenas um ano e dez meses. Mãe e filha não possuem os pés e as mãos, o que, apesar das dificuldades, não impede que ambas busquem alternativas para levar uma vida normal.

Estela, como prefere ser chamada, recebe um benefício pelo problema físico, valor esse que mal dá para as despesas mensais. Não bastasse isso, há cerca de um mês elas tiveram a casa invadida. Do local foram levados um notebook  e um videogame, que era a única diversão da pequena Yasmim.

Além dos objetos também foram levados R$ 600,00 que seriam utilizados para pagar contas e para comprar alimentos e fraldas. Diante da situação, elas passam por algumas dificuldades.

“Com a perda do dinheiro, atrasei todas as contas e não consegui comprar comida para mim e para ela. Falta um pouco de tudo e vamos tentando nos virar com o que restou”, lamentou.

Ela comentou ainda que faltam principalmente os alimentos para a filha. “Não tenho condições de comprar fruta, leite, fralda, lenço, entre outros produtos de extrema necessidade para ela. Roupas e calçados também tenho bem pouca coisa pra a Yasmim”, frisou.

No notebook continham todos os trabalhos da faculdade que, com muito esforço, Estela continua a cursar. “Estou na 5° fase de Engenharia Civil, e só consigo estudar porque consegui uma bolsa de 100%. Não quero desistir, pois essa é minha única chance de dar um futuro melhor para a minha filha”, enalteceu.

Ela sonha ainda em conseguir uma prótese para a filha, que ainda não entende as dificuldades que irá enfrentar devido à falta de membros. “A Yasmim vê as outras crianças correndo e quer fazer o mesmo, mas ainda não consegue compreender a razão de ele ser diferente”, comentou.

Quem puder contribuir pode entrar em contato pelo telefone (49) 3567-5252, com Estela.



Uma resposta para “Após ter casa furtada mãe e filha, com problemas físicos, passam por dificuldades”

  1. andressa monteiro disse:

    E ainda tem gente que reclama da vida… Se alguem conhece ela pode passar esta informação, ela consegue esta protese que falou p filha, através do centro de reabilitação catarinense em florianopolis, ela precisa de um encaminhamento e vai na secretária de Saude TFD e faz o processo..