Mulher viaja a Caçador para conhecer pretendente e acaba denunciando violência contra idosa


- 8 de agosto de 2018.
Destaques

A Guarda Municipal foi acionada no início da noite de sábado para atender um chamado no Pronto Atendimento, localizado no bairro Berger. A informação recebida era de que uma pessoa estaria iniciando um tumulto no local, após ser questionado sobre alguns fatos.

Ao chegar ao local, os guardas municipais foram avisados pela equipe de plantão sobre o caso de uma idosa de 93 anos, moradora do Bairro Martello, que estaria recebendo os primeiros socorros devido a um grave ferimento no braço esquerdo, supostamente ocorrido há dias.

Também foram informados que o filho dela, N.F. da L, de 51 anos, estaria sendo questionado, em uma sala, sobre os ferimentos na mãe, que mora no piso inferior da casa.

Durante a apuração, constatou-se que uma mulher, residente em Santa Cecília, deslocou-se até Caçador para conhecer o filho da idosa, visto que eles somente haviam conversado através das redes sociais.

Ao chegar na casa deles, a mulher pediu para conhecer a mãe do homem, porém inicialmente ele resistiu a ideia. Algum tempo depois, acabou concordando e trouxe a mãe para o piso superior da residência.

A mulher então viu o ferimento e imediatamente decidiu encaminhar a idosa para atendimento médico. Diante dos fatos apurados os guardas municipais decidiram acionar a Polícia Militar.

Ao chegarem ao local, os policiais tomaram conhecimento do caso e, juntamente com os guardas municipais, a assistente social e o filho da idosa se deslocaram até a residência a fim de averiguar as condições do local onde a idosa vive.

No local, eles observaram que o compartimento no piso inferior era precário. O quarto não possuía lâmpada, o acesso ao banheiro era por uma rampa rústica feita de madeira, apenas um fogão a gás e uma pequena mesa faziam parte da mobília da cozinha e uma porta de ferro com uma portinhola era o único contato com a parte exterior da casa.

Foi observado ainda que o piso superior, onde mora o filho, é mais confortável. Diante dos fatos, os policiais resolveram encaminhar o homem para a Delegacia de Polícia para prestar depoimento. Na Delegacia foi constatado que ele já foi investigado por violência doméstica em 2010 e por porte ilegal de arma de fogo em 2015.

Após atendimento, a idosa foi encaminhada para a Associação Maria Rosa. O Creas irá acompanhar o caso.