Uma caçadorense na Austrália por Ana Paula Ribeiro


- 10 de setembro de 2018.
Caçadorenses pelo Mundo
, , , , , , ,

É difícil saber por onde começar a explicar o porquê estou na Austrália, afinal tem inúmeras razões. Eu me mudei para Austrália em agosto de 2016, minha ideia inicial foi aprender inglês e vivenciar uma nova cultura, tanto para meu desempenho profissional como pessoal. Morei por quase dois anos em Perth, no Oeste da Austrália e agora estou há quase um mês morando em Hobart, no estado da Tasmânia.

A Austrália é um dos poucos países que permite com que brasileiros possam estudar e trabalhar. Esse foi um dos motivos que escolhi vir para cá, porque aqui eu sou permitida a trabalhar para pagar meus estudos.

Quando cheguei aqui, além da cultura Australiana eu me deparei com muitas outras nacionalidades. Tive que aprender a inúmeras diferentes rotinas que estava acostumada. A Austrália é um pais de imigrantes, então é possível encontrar o mundo todo por aqui. Apesar de ser um país tropical, cada estado tem suas características de temperatura e é preciso estar acostumada a tudo. No verão, apesar de fazer 40 graus, muitas pessoas andam descalços pela rua e alguns estados possuem uma lei estadual, a qual proíbe consumir bebida alcoólica em lugares públicos, como parques e praias.

O solo daqui é um pouco mais fraco do que o do Brasil, então as comidas mudam de gosto e no começo é um pouco difícil de entender.

No começo uma das principais dificuldades com certeza foi o inglês. Os australianos tem um sotaque um pouco diferente do que assistimos em filmes ou ouvimos em músicas, então leva um tempo até se acostumar.

Minha rotina e minha vida mudou muito desde que vim para cá. Aqui eu trabalho em restaurante, como garçonete e bartender, ou seja, meus dias de trabalhos são durante o final de semana. Eu sou estudante também, então tenho aula de duas a três vezes na semana. No momento estou fazendo um curso de Marketing.

A vida aqui na Austrália é muito diferente do Brasil. Na minha opinião a Austrália é um país muito mais liberal. As pessoas aqui não ligam para bens matérias ou imagem. Tanto faz se você anda descalço na rua, trabalha como garçonete, domestica ou é gerente de um banco, aqui as pessoas são tratadas da mesma maneira, com igualdade e respeito. Acredito que isso aconteça pelo fato deles receberem pessoas de todo o mundo. Sair de uma cidade como Caçador, a qual sabemos que muitas pessoas cuidam da nossa vida e vir para um outro país, onde ninguém esta nem ai para o que você faz ou de onde você veio, é algo maravilhoso. Afinal isso somente comprovou que somos somente mais uma formiguinha e que a melhor coisa que temos que fazer é cuidar de nós mesmos. (acho que fui meio grossa aqui, mas tu podes cortar Ju)

Bem, em dois anos aqui as coisas voam e os aprendizados são muito rápidos. Como estou aqui sozinha, sem famílias e amigos de longa data, os sentimentos parecem se multiplicar por 10. A saudade no começo é algo que machuca bastante, mas com o passar do tempo, a rotina e a vida faz com que a saudade já não doa mais tanto.