Justiça proíbe Saulo Sperotto de concorrer a reeleição


O prefeito Saulo Sperotto (PSDB) gastou R$13.700,00 apenas neste ano - 6 de junho de 2020.
Caçador, Destaques, Geral, Política
, , , , , , , , , , , , ,

Saulo Sperotto está inelegível, ou seja, não pode concorrer a reeleição. A informação é pública e pode ser autenticada sua veracidade no site do Conselho Nacional de Justiça. 

O atual prefeito de Caçador, Saulo Sperotto (PSDB), eleito pela coligação “Por Amor a Caçador”, em conjunto com seu vice, Alencar Mendes (DEM), está inelegível. Apesar de ter deixado a presidência da Federação Catarinense de Municípios (FECAM), visando a reeleição, Sperotto está proibido de concorrer a cargos públicos novamente. Em 2016, nas eleições municipais, o prefeito só conseguiu concorrer devido a uma liminar judicial, pois já tinha problemas anteriores com a justiça.

Imagem do site do Conselho Nacional de Justiça, onde é de acesso público a informação da inelegibilidade de Saulo Sperotto

Imagem do site do Conselho Nacional de Justiça, onde é de acesso público a informação da inelegibilidade de Saulo Sperotto.

A condenação que levou Saulo Sperotto a se tornar inelegível, envolve o polêmico caso do muro da Escola Esperança. Em 2010, a empresa ALDO MARAFIGO ME, havia sido contratada pela Prefeitura de Caçador para construir um muro de 759 metros na Escola Esperança, bairro Martello, mas apenas 45 metros estava de fato construído. O valor total de R$ 180.000,00 da obra teve um antecipamento de R$ 54.648,00 do poder público. Por ter dúvidas sobre o destino do montante, o Ministério Público abriu investigação. Julgado como culpado em primeira e segunda instância, ou seja, por decisão de um colegiado, Sperotto não poderá ser candidato a reeleição para o cargo de prefeito de Caçador.
No ano de 2011, Sperotto teve seu mandato cassado, devido a decisão do TRE (Tribunal Regional Eleitoral) que confirmou por unanimidade a sentença de primeira instância. De acordo com a Justiça, nesse caso, o então prefeito fora cassado por suspeita de compra de votos na campanha eleitoral de 2008. Eleito novamente em 2016 para o cargo de prefeito, Saulo apenas conseguiu concorrer devido a uma liminar expedida pela justiça. A impossibilidade que naquela data recaia sobre sua candidatura, era a condenação pela suspeita compra de votos em 2008. Naquela data, após o mandato de Sperotto ser cassado, Imar Rocha (PMDB), foi eleito pela Câmara de Vereadores de Caçador para a chefia do poder executivo municipal.